Continuidade de impeachment deve ser votada hoje

Caixa paga auxílio emergencial para 3,9 milhões de nascidos em junho
16 de setembro de 2020
Caixa inicia pagamento do Auxílio Emergencial Extensão
17 de setembro de 2020
O destino do governador Carlos Moisés (PSL) e da vice-governadora Daniela Reinehr (sem partido) deve começar a ser definido na tarde de hoje. A partir das 15h, a Assembleia Legislativa fará uma sessão extraordinária para votar sobre a autorização ou não para abertura do processo de impeachment dos dois, eleitos em 2018. Serão necessários pelo menos 14 votos para que o processo não seja aberto.

Moisés está investindo na conquista do apoio dos quatro deputados da bancada do PT – Fabiano da Luz, Luciane Carminatti, Neodi Saretta e Padre Pedro. Até o momento, os petistas estão divididos. Metade da bancada acredita que o processo de impeachment é um golpe contra o governo Moisés, outra que ele não tem mais condições políticas de governar o Estado. Uma nova reunião será realizada no fim da manhã de hoje, horas antes da votação.

Estes quatro votos do PT poderiam se somar aos que já devem ser a favor do governador Moisés, como de Paulinha (PDT), José Milton Scheffer (PP), Vicente Caropreso (PSDB) e os pesselistas Coronel Mocellin e Ricardo Alba, do PSL.

Caso a abertura do processo seja aprovada hoje, o pedido será alvo de uma segunda votação, desta vez por uma comissão mista formada por cinco deputados estaduais escolhidos e cinco desembargadores do Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJ-SC), definidos por sorteio.

Se o impeachment do governador for aprovado também nesta comissão mista, o governador e a vice são afastados do cargo por até 180 dias ou até que ocorra o julgamento, que será feito também por esse grupo de cinco deputados e cinco desembargadores, em uma nova sessão que inclui depoimentos de testemunhas e discussão sobre provas.

Fonte: Diário do Sul

Posts Relacionados

Guilherme
Guilherme
Comunicador e Produtor do Programa Hora H e H News.

Os comentários estão encerrados.