Mais de sete mil empregos formais de saldo em setembro
25 de outubro de 2018
150 alunos de Apaes da região participam de corrida rústica
26 de outubro de 2018

A Ninho é uma maternidade que integra a estrutura de atendimento humanizado do Hospital Socimed, em Tubarão. Os números reforçam a resposta positiva do público: em um ano, o número de partos praticamente dobrou no local.

Neste período, a quantidade de partos naturais no Socimed aumentou 26%. Estes números têm crescido e revelam que um ambiente favorável contribui para o incentivo desta prática. Sabe-se que a informação é outro fator que contribui para este processo, e este esclarecimento vem também por meio dos cursos de gestantes, que passaram a ser mensais.
Com participação gratuita, estes encontros estreitam o relacionamento entre o público e os profissionais da equipe da maternidade.
“Cabe ressaltar que eliminamos alguns protocolos e intervenções, deixando o parto mais natural possível, mas sempre mantendo a vigilância de uma equipe preparada para intervir, visando à saúde de mãe e filho”, explica a coordenadora da  equipe de enfermagem do Centro Obstétrico, Rosneidi Effting Saturno, lembrando, ainda, que na cirurgia se preza pelo parto humanizado.
“Humanização no parto não é implementar técnicas diferentes. Nada mais é do que valorizar o dom que a mulher recebeu, de trazer uma nova vida ao mundo”, conclui a enfermeira.
A busca crescente pelo parto humanizado, em que a gestante e o bebê são protagonistas, trouxe um novo conceito em maternidade. A combinação de recursos para a segurança e humanização, para que mãe e filho possam se sentir ainda mais acolhidos e respeitados no momento do nascimento, fez com que o Socimed colocasse em prática o projeto inovador, que completa um ano.
Apesar de este ser um desejo antigo da direção, e que já se colocava parcialmente em prática, este passo exigiu investimento, incluindo reestruturação de espaço físico, ampliação e capacitação da equipe e mudanças na forma de atender o público, desde as gestantes até seus familiares, incluindo profissionais como as doulas e as enfermeiras obstétricas.
“Havia uma saída significativa de pacientes daqui buscando este parto mais natural. Hoje, o atendimento a esta necessidade se consolidou, suprindo não só Tubarão, mas vários municípios da região”, explica a ginecologista e obstetra Ângela Bergamo, que responde pela equipe médica da Ninho. (Fonte: Diário do Sul)

Posts Relacionados

Deixe uma resposta