Em Meio a Pandemia Produtos da cesta básica têm alta

Foragido acusado de feminicídio é preso em Braço do Norte
13 de abril de 2020
Bênção de Páscoa a 30 metros do chão
13 de abril de 2020

As pessoas que foram aos supermercados nas últimas semanas notaram um aumento considerável nos preços dos produtos. Alimentos como feijão e leite foram alguns dos que mais tiveram alta nos preços em meio à pandemia e à crise que assola o país.

De acordo com a Associação Catarinense dos Supermercados (Acats), o valor do dólar e a estiagem contribuíram para os reajustes. O arroz, por exemplo, teve alta média de 5%. O feijão preto, de 25%. Óleo de soja, 5%. Também ficou mais caro tomar café com leite. Os dois subiram 8% e 25%, respectivamente.

“Os insumos aumentaram. O arroz, foi pela  questão da seca no Sul, que influenciou bastante. O trigo, atrelado ao dólar, e o óleo de soja também. Feijão é por causa da estiagem, da seca”, disse o presidente da Acats, Paulo César Lopes.

Tem outro item que não está na cesta básica mas faz parte do dia a dia do consumidor: os ovos. Segundo a Acats, o aumento da caixa com a dúzia foi de 20% se a gente for fazer a comparação com o mesmo período do ano passado.

A explicação dos produtores é de que a procura está grande e o preço da ração para alimentar as galinhas também subiu no meio da crise.

O Ministério Público de Santa Catarina está de olho nesse aumento. Na primeira semana de quarentena, o leite subiu 50%. Foi aí que o órgão entrou em ação, por entender que o valor era abusivo. Depois disso, o aumento médio do valor chegou ao nível atual.

Fonte Diário do Sul

Posts Relacionados

Guilherme
Guilherme
Comunicador e Produtor do Programa Hora H e H News.

Os comentários estão encerrados.